Saturday, October 4, 2008

Necrologia

Peguei no jornal. Na página da necrologia, estava lá ele. Morreu. Tinha mais ou menos a minha idade, só uns meses mais velho. Sempre fomos muito pegados. Andávamos sempre juntos desde a infância… cresceu junto a mim, ficamos grandes juntos, andamos na mesma turma, gostamos das mesmas raparigas, nunca discutimos uma única vez. Eu nunca lhe falhei, e ele nunca me falhou. Bem, pelo menos até a uns anos, quando te conheci. Ai, ele disse à sua própria maneira que te achava a rapariga mais bonita que ele já tinha visto. Eu concordei. A primeira vez que te vimos, parecias um anjo descido dos céus. Cabelos castanhos, olhos da mesma cor, vestida de verde, face sorridente de quem está em harmonia com o mundo, mas os olhares que lançavas deixavam questões por responder, pedidos de ajuda por auxiliar. Os teus lábios carnudos, sensuais e provocativos, falavam sabedorias interessantes e, secretamente, ansiavam por atenção. A partir de ai, a nossa vida foi uma roda-viva de emoções geradas no momento, experiencias nunca vividas e olhares prolongados. Até ontem. Ontem fartaste-te dele… Livraste-te dele sem dó nem misericórdia. E tudo o que eu pude fazer foi ver, contemplar o homicídio daquele que comigo esteve a vida toda. Foste má, vil, inconsiderada. Ele não aguentou mais. Morreu. Agora pergunto:

"Onde vou arranjar outro coração?"

2 comments:

x Inês ( ? ) said...

Adorei João . Um final impressionante . Um beijo , *


P.S. Gostei muito da imagem lá de cima ^^

Qel said...

Lindo! Um texto triste e apetecível.

p.s.-Claro q te add, gostei bastante do q por aqui tens escrito (e a "pieces" foi uma óptima escolha para música de fundo) ;)